Um Case de UX Writing baseado em User Research

O Começo 

O Food App surgiu como uma peça complementar de um produto digital no qual eu estava trabalhando.

Enquanto o site já estava atraindo visitantes, decidimos reformulá-lo para que ele fosse ainda mais adequado às necessidades de todos os amantes de comida na Ásia e outras regiões – assim consolidando-o como a ferramenta número 1 para buscas de receitas da culinária asiática na região.

A segunda fase do produto seria um aplicativo, que estava para ser lançado no ano seguinte; e enquanto ainda não estávamos nessa etapa, decidi por conta própria pular adiante e embarcar em meu próprio projeto paralelo.

Esta é minha visão pessoal de como esse produto deve ficar na fase dois do projeto.

Oportunidade de pesquisa 

O Food App foi pensado para ser um serviço para usuários que procuram receitas, com funcionalidades estendidas, como recursos de comunidade e comércio eletrônico.

Tivemos uma rodada inicial de pesquisa encomendada com participantes do Sudeste Asiático, que revelou um conjunto importante de recursos que os usuários em potencial estão procurando em uma plataforma de comida. 

Aí reside a oportunidade de me concentrar em três características principais que os participantes identificaram e mergulhar profundamente no “como”, “quando”, “onde” e “porque” eles vão utilizá-las. 

Característica 1 – Marcador de Receitas

Para investigar como os/as usuários/as salvam determinada receita e o que acontece depois. 

Característica 2 – Feed de Receitas 

Como eles/as vão se engajar com as receitas que encontram no feed? Essas pessoas estão dispostas a compartilhar suas realizações culinárias? 

Característica 3 – Configuração de e-commerce 

Elas têm o hábito de fazer compras online? Quais são os fatores que poderiam persuadi-las a comprar de um e-commerce configurado dentro de um aplicativo?  

Método de pesquisa

Os formulários de pesquisa foram enviados online, por meio de comunidades de culinária e fóruns, bem como pelas redes sociais. 

Dos 25 resultados gerados a partir da pesquisa de triagem, peneirei candidatos/as que se encaixavam no perfil comportamental esperado para as entrevistas com usuários/as.

Isso incluía pessoas que cozinhavam pelo menos uma vez por mês, seja para elas mesmas ou para a família/amigos.

Essas pessoas já deveriam ter o hábito de procurar fontes online de receitas para se inspirar ou de fazer pesquisas online sobre informações gerais. 

Um Case de UX Writing baseado em User Research 1
Imagem 1 - formulário enviado

Lições a partir das entrevistas com usuários 

Houve alguns aprendizados surpreendentes a partir das cinco primeiras entrevistas com os/as usuários/as, que foram conduzidas por meio de chamadas de vídeo. 

1 – Marcador de Receitas

O processo pessoal dessas pessoas para marcar ou anotar as receitas não era muito organizado e precisava ser recuperado. Algumas delas salvavam receitas em quadros do Pinterest. Outro/a usuário/a copiava e colava no bloco de notas do Macbook, que sincronizava com o smartphone e oferecia a referência para ser usada durante o processo de preparo da receita. 

Outra pessoa tirava print da receita desejada e depois a imprimia para usar na hora de cozinhar. 

Minha recomendação: este é um ponto de atrito potencial para o/a usuário/a. O estresse pode ser reduzido durante o processo de guardar a receita se houver uma área de armazenamento central onde as receitas favoritas possam ser armazenadas e extraídas facilmente quando necessário.

2 – Feed de Receitas

Os/as usuários/as gostam da ideia de ter recomendações personalizadas no aplicativo e ficariam animados/as de poder avaliar as receitas que eles/as tentaram cozinhar.

Um ponto interessante é que essas pessoas não se mostraram interessadas em postar fotos dos seus pratos prontos para a comunidade online. Em vez disso, preferiam endossar uma boa receita que haviam tentado e compartilhá-la com um/a amigo/a. 

Minha recomendação: a publicação de imagens das receitas como um recurso de comunidade seria subestimada e, no lugar disso, eu acrescentaria funções de compartilhamento por e-mail, chat ou plataformas de mídia social.

3 – E-commerce 

Todos/as os/as usuários/as têm o hábito de comprar online, de acordo com suas necessidades e conveniência.

Quando se trata de produtos perecíveis, preferem comprar em um supermercado físico, para que possam ver e sentir o produto.

O mesmo se aplica a marcas desconhecidas de produtos não-perecíveis, como, por exemplo, utensílios de cozinha. 

Minha recomendação: para atender às diversas preferências pessoais, os/as usuários/as terão a flexibilidade de editar o carrinho de compras de seus ingredientes antes de fazer o pagamento.

“Eu normalmente faço prints das receitas que eu gosto no momento em que as vejo. Depois, eu as imprimo para minha ajudante, se for ela a responsável por preparar a refeição. Não é o jeito ideal de salvar as receitas, eu sei!” 

Uma das respostas obtidas na entrevista de usuários/as, que apresenta uma dor na hora de salvar as receitas. 

Concepção de solução

A partir do mapeamento de afinidade e análise das entrevistas com os/as usuários/as, eu determinei três pontos críticos que eles/as enfrentavam:

  • Como podemos ajudar os/as usuários/as a encontrarem as receitas de uma forma mais eficiente, de acordo com suas necessidades? Essas necessidades incluíam a maneira como o hábito de cozinhar acontece na vida diária (ex: se os/as usuários/as tinham um estilo de vida ocupado e frequentemente procuravam por receitas que ficassem prontas em 15 minutos), bem como a variedade de dietas e necessidades nutricionais de cada membro da família. 
  • Como podemos ajudar os/as usuários/as a aumentar a facilidade de uso das referências das receitas salvas enquanto estão no meio do preparo do alimento?
  • Como podemos ajudar os/as usuários/as a entender sua coleção de receitas salvas e também permitir que eles/as compartilhem com facilidade?

Com base nas descobertas feitas com os/as usuários/as, eu desenvolvi duas personas: a profissional ocupada e a educadora, e também mapeei protótipos de low-fidelity para duas situações-chave. 

As duas personas foram referenciadas em todo o processo de desenvolvimento do produto. 

Um Case de UX Writing baseado em User Research 2
Imagem 3 – Persona 1
Um Case de UX Writing baseado em User Research 3
Imagem 3 – Persona 2

O processo de wireframing

No começo do meu processo de design, fiz alguns rascunhos baseados nos fluxos dos/as usuários/as e obtive feedbacks por meio de testes de guerrilha. 

As tarefas do/a usuário/a alocadas foram:

1 – Procurar uma receita
2 – Ir para a receita
3 – Salvar a Receita 
4 – Salvar configurações individuais da receita
5 – Clicar para selecionar receitas favoritas em massa no “My Recipe Box”
6 – Comprar ingredientes online

Lições do teste de guerrilha com usuários/as 

1 – Todos os/as usuários/as foram capazes de navegar pela interface do app com facilidade, embora os/as participantes mais velhos (com 50 anos de idade) demorassem um tempo maior para encontrar o botão para a tarefa 5 (organização em massa das receitas favoritas); 

2 – Uma usuária (mãe, com aproximadamente 40 anos) disse que gostou da flexibilidade de ser capaz de editar a lista de ingredientes no carrinho de compra, já que haverá certas situações nas quais ela já terá alguns do ingredientes em sua casa;

3 – A interface do/a usuário/a ainda poderia ser simplificada, para minimizar distrações desnecessárias para o/a usuário/a. Sugestões adicionais em texto para as principais ações ajudarão a orientá-lo/a;

4 – Botões de call to action poderiam ser destacados visualmente, como um guia indireto para o fluxo.

Com base no feedback, as iterações finais dos wireframes de low-fidelity são mostradas abaixo.

Recomendações personalizadas de receitas 

Um Case de UX Writing baseado em User Research 4
Imagem 4 - Após o primeiro login, o/a usuário/a será solicitado/a a inserir suas preferências culinárias. Em seguida, recomendações personalizadas de receitas serão exibidas na página inicial.

Filtros avançados de busca e marcador de receitas

Um Case de UX Writing baseado em User Research 5
Imagem 5 - Para cada página de receita, os usuários podem facilmente salvar o passo a passo dos pratos que eles gostaram em uma área central de armazenamento chamada de My Recipe Box.

Notas e avaliação de receitas 

Um Case de UX Writing baseado em User Research 6
Imagem 6 - Usuários podem indicar que eles prepararam determinado prato e depois dar nota e avaliar a receita. 

Selecionar receitas para planejamento semanal das refeições 

Um Case de UX Writing baseado em User Research 7
Imagem 7 - Os usuários podem selecionar algumas receitas do My Recipe Box, se eles estiverem planejando com antecedência as refeições para a semana seguinte. O aplicativo irá gerar uma lista de ingredientes necessários, com base nas seleções das receitas. Os usuários poderão imprimir, fazer download ou até compartilhar a lista com outra pessoa que possa estar fazendo as compras no supermercado.

Opção para comprar os ingredientes online

Um Case de UX Writing baseado em User Research 8
Imagem 8 - Um ponto importante é o botão "Editar ingredientes", que foi muito bem recebido durante o processo de testes do usuário. Os usuários gostaram de poder adicionar ou remover itens da lista de compras, com base no que eles já podem ter em casa. Depois que a lista de compras é finalizada, os usuários também podem optar pelo direcionamento para o site de um parceiro para concluir a compra. 

“Eu não cozinho com frequência, mas, de vez em quando, meu marido pede alguma coisa que ele gosta de comer. Nem sempre eu faço!”.

Um novo público-alvo para a função de compartilhamento de receitas no aplicativo: o marido faminto! 

Lições para UX Writing

Adotei um tom de voz amigável para o aplicativo e também mantive a linguagem direta e concisa.

Isso pode ser visto nos botões de diálogo de confirmação, que aparecem antes que o/a usuário/a seja enviado a um fornecedor externo. 

O foco também é mantido no/a usuário/a. Fale com eles/as, e não para eles/as. Em vez de dizer "Obrigado/a por usar o The Food App para fazer suas compras”, vou dizer "Suas compras estão a apenas um clique de distância!".

Ao conduzir as entrevistas com os/as usuários/as, observei também como as pessoas falam e as palavras que elas usavam para descrever o processo de cozinhar.

Isso ajudou a simplificar certas descrições que usei inicialmente nos wireframes e tornou a comunicação mais agradável (veja o exemplo abaixo para as telas de antes e depois).

Um Case de UX Writing baseado em User Research 9
Imagem 9 - Incorporando observações da pesquisa de usuário: antes e depois

Escrever para as personas 

As duas personas, a profissional ocupada e a educadora, foram mantidas no topo das prioridades durante a construção da estratégia de conteúdo.

Através das entrevistas com usuários/as, eu descobri que o amor deles/as por comida está muito ligado às memórias da infância, quando acompanhavam seus pais ou avós cozinhando. 

Um sentido semelhante de nostalgia é trazido pelo nome da central de armazenamento de receitas “The Recipe Box”, que remete ao passado, quando as receitas eram frequentemente manuscritas e armazenadas em uma caixa.

A função adicional de permitir que o/a usuário/a faça anotações para cada receita também simula a sensação tátil de colocar seus pensamentos no papel.

Visualmente, eu poderia trabalhar nos elementos de interface do/a usuário/a que os acompanham, para serem projetados de modo a reforçar a conexão emocional com o produto.

Um Case de UX Writing baseado em User Research 10
Imagem 10 - Tomar notas para cada receita simula a sensação tátil de colocar os pensamentos no papel. 

Conclusão 

Trabalhar no processo de UX do The Food App foi certamente uma experiência que abriu meus olhos. Realizei a pesquisa de usuário/a e os testes de usabilidade, com o olhar de alguém com experiência em Comunicações.

Aqui estão minhas considerações

Além das descobertas da pesquisa, foram minhas observações pessoais durante as entrevistas que forneceram mais utilidade ao design de UX e à redação.

Quais foram as palavras coloquiais que eles/as usaram para descrever a maneira como cozinham? O que estavam dizendo vs o que não estavam dizendo? O que podemos deduzir de suas expressões e linguagem corporal quando clicaram no protótipo?

Escrever com as personas em mente também ajudou a construir a conexão emocional com os/as usuários/as, com o objetivo de gerar emoções positivas à medida que eles/as se engajavam com o aplicativo. 

Achei que também era útil criar o conteúdo primeiro, antes de apresentar os elementos de design - para que houvesse menos restrições nas palavras.

De fato, o processo de UX Writing não deve ser algo para se pensar tardiamente no processo de UX design. 

Este é um artigo traduzido, você pode acessar a versão original em inglês aqui.
Todos os créditos para a autora: Gayle Tan

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram