Black Friday: quais as promessas para 2020?

A pandemia de coronavírus causou um grande impacto no mundo inteiro, afetando as nossas vidas e a maneira como consumimos produtos e serviços. Diante de um cenário com tantas mudanças, o que podemos esperar de um dos eventos mais importantes para a economia e o varejo, a Black Friday?

Até agora, a crise de Covid-19 trouxe mais perguntas do que respostas. Porém, com relação ao comportamento das pessoas, especialistas já analisam que as compras online, que registraram crescimento substancial desde que o isolamento social foi implantado, será a grande aposta para a Black Friday e para o Natal em 2020. 

Mudanças no consumo online em 2020

A Rakuten Advertising realizou um estudo chamado de “O Caminho para a Retomada: os Picos de Venda para 2020 Repensados”, que se dedica a levantar dados para compreender a situação atual e visualizar quais serão os movimentos para os meses seguintes.

Para isso, no Brasil, foram ouvidas 1.000 pessoas, entre junho e julho deste ano. No mundo, participaram do levantamento cerca de 8 mil entrevistados/as. 

O resultado foi que 70% das pessoas ouvidas revelaram que pretendem realizar as compras de Black Friday normalmente, sem economizar ou reduzir os gastos. Porém, mesmo com a reabertura de shoppings e lojas, eles/as pretendem fazer as encomendas pela internet, em lojas virtuais.

Este é principal reflexo que a pandemia trará para uma das datas mais importantes para o setor de varejo. Na Black Friday 2020, as compras online devem superar as aquisições em lojas físicas, causando um movimento gigantesco nas operações em plataformas digitais e nos centros de logística para o envio dos produtos.

Das pessoas ouvidas neste estudo, cerda de 57% garantiram que devem comprar algo na Black Friday e quase 90% confirmaram que farão as encomendas de presentes de Natal.

Outros dados importantes sobre o comportamento do/a consumidor/a brasileiro/a trazidos pela pesquisa são:

  • 73% dos/as brasileiros/as passaram a comprar mais pela internet durante a pandemia;
  • Nos três últimos meses do ano, justamente na Black Friday e Natal, 86% das pessoas vão comprar pelo notebook, smartphone, tablet e outros dispositivos conectados à internet.

Avanços em relação a 2019

Apesar de passarmos por uma crise de saúde em escala global, podemos dizer que houve um avanço no comportamento das pessoas quando falamos de consumo digital, especialmente quando comparamos os dados de 2020 com o ano de 2019. 

A própria adaptação das pessoas à uma situação delicada e desafiadora como essa, imposta pela pandemia de Covid e que mudou severamente a nossa rotina e a maneira de lidar com eventos do dia a dia, já pode ser vista como uma grande evolução.

A pesquisa indicada acima trouxe números relevantes que mostram essa nova maneira de fazer compras e que será utilizada também na Black Friday. Neste caso, as soluções híbridas, quando o/a mesmo/a consumidor/a realiza a compra online e ainda gosta da experiência na loja, é uma opção para 58% dos/as entrevistados/as.

Ou seja, nós, brasileiros/as, gostamos do contato pessoal, da conversa e de ir à um lugar para fazer compras, seja na Black Friday ou para as festas natalinas, mas estamos utilizando a tecnologia como uma ferramenta permanente, e não apenas como uma solução passageira para períodos de crise.

Segundo a pesquisa, os/as brasileiros/as gostam de ver as peças na loja, mas não querem abrir mão das comodidades que o e-commerce pode oferecer. 

Como montar estratégias de venda para a Black Friday

As próprias lojas virtuais também registraram avanços relevantes em suas operações. Muitas estão oferecendo Frete Grátis desde que a pandemia de Covid ganhou força e continuam com a isenção de taxa de entrega até agora (provavelmente a ação será estendida até o Natal).

Várias medidas, além do frete grátis, podem atrair clientes para as lojas virtuais e startups que oferecem serviços de todos os tipos durante a Black Friday. Confira algumas dicas! 

Cupom promocional e cashback

Os cupons de desconto são excelentes para a atração de clientes. Segundo o relatório Rakuten Advertising, políticas de cashback e de cupons promocionais podem influenciar a decisão de compra de até 50% dos/as consumidores/as. 

Família em primeiro lugar

As pessoas mais próximas, como os familiares de primeiro grau, vão receber ainda mais presentes durante a Black Friday e o Natal de 2020. As lojas virtuais podem fazer uma ação promocional direta com foco nos parentes mais próximos, como filhos/as, mães, pais, irmãos e avós.

Números e datas

Prepare sua ação com planejamento de acordo com o calendário. A Black Friday está prevista para acontecer no dia 27 de novembro de 2020. Porém, muitas empresas já estão com ações antecipadas.

A expectativa de movimentação financeira, segundo o portal BlackFriday.Org, é de R$ 1 bilhão. Durante a pandemia de Covid, foram registrados 5 milhões de novos/as consumidores/as online.

Prepare sua empresa para aproveitar um evento que está sendo classificado como a “maior Black Friday de todos os tempos”, por causa do “novo normal” que surgiu com a Covid-19.

Invista em ações de marketing antes de seus concorrentes

Para vender mais na Black Friday, aposte em ações de Marketing Digital e fique de olho no que seus concorrentes estão fazendo. Segundo pesquisa da ABComm, houve um aumento de 400% no mercado de lojas virtuais durante o período de isolamento social e, provavelmente, uma dessas empresas compete com a sua.

Prepare suas redes sociais para a Black Friday

Durante as ações com foco na Black Firday, muitas empresas passaram a interagir diariamente com seus seguidores pelas redes sociais, em alguns casos mais de uma vez ao dia.

São publicações com ofertas, dicas especiais, promoções relâmpagos, pré-Black Friday, cupons, entre outras ações para “esquentar” o/a cliente para o grande dia. A Magalu, por exemplo, fez uma grande promoção do iPhone SE e esgotou os estoques em poucas horas.

Faça uma grande venda também com uma megapromoção e impulsione essa notícia nas redes sociais.

Facilite o pagamento

Por mais que os/as consumidores/as estejam dispostos/as a gastar bastante na Black Friday, a possibilidade de parcelamento sem juros é sempre uma ótima opção para as lojas virtuais aumentarem as vendas. Outra opção é oferecer o desconto para pagamento à vista em boleto.

Produtos mais procurados na Black Friday

Se antes a Black Friday era o momento esperado para comprar o produto dos sonhos, como um smartphone ou um videogame, agora os itens de necessidade básica e produtos para casa estão no topo da lista.

As pessoas estão ficando mais em casa por causa da pandemia e querem estar em um ambiente mais agradável e confortável. Cerca de 40% dos entrevistados em uma pesquisa da Méliuz disseram que vão gastar com mercadorias essenciais, que podem ser desde o café em cápsula para o dia a dia até um ventilador para os dias quentes que estão se aproximando.

Ainda segundo a pesquisa, os eletrodomésticos representam 50% dos produtos desejados para a Black Friday, seguidos pelos itens de informática com 41%, perfumes e cosméticos com 32%, smartphones com 28%, acessórios e calçados com 25% e roupas com 24%.

No fundo, os/as consumidores/as querem pagar mais barato em todos os produtos durante a Black Friday, desde o item essencial até aquele presente especial – o importante mesmo é economizar!

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram