Guest post: perspectivas para trabalhar em startups

Esse post foi escrito pela Jhenyffer Coutinho, Gerente de Gente & Gestão Financeira na ABstartups.

No cenário atual, onde trabalhar em startups viralizou, é muito importante falar sobre o trabalho no mercado digital como um todo. E eu vou contar pra vocês alguns dos motivos dessa importância.

Mas antes, um breve comentário sobre a educação tradicional...

Não estou aqui para fazer julgamento do ensino. Jamais ousaria fazê-lo, pois sei que os nossos/as professores/as dão a vida para entregar o melhor num contexto nada favorável. Mas, a verdade é que o mercado de trabalho avança numa velocidade muito maior do que a academia

Sugiro assistir a um vídeo que mostra a clareza disso: I JUST SUED THE SCHOOL SYSTEM

Enquanto ouvimos, com uns 17 anos, que "se você entrar para a faculdade/universidade você sairá de lá com emprego garantido", aqui fora, no mercado, são exigidos conhecimentos que não são ensinados durante o longo período de estudos. 

Quantos de vocês têm disciplina de empreendedorismo? Quantos aprendem o que são startups? Ou têm aulas sobre inteligência artificial?

Certa vez, eu estava montando uma palestra sobre o novo mercado de trabalho e vinham slides com o seguinte: a nova realidade de mercado é onde todo mundo tem o aplicativo Uber, todo/as assistem Netflix, a Tesla tem mais valor de mercado do que a Ford, inglês é essencial, onde existem unicórnios...

Onde existem 2.849 vagas para serem preenchidas em startups e existem hipsters, hackers, hustlers e hypers (Leia também: Os quatro H’s do mercado de startups). 

Na nova realidade de trabalho, existe um lugar chamado CUBO, um prédio onde de um andar pro outro você pode descer de escorregador, ou numa rede, ou mesmo parede de escalada. Tem chopp liberado todo dia, trabalhando numa empresa que te permite fazer home office.

MAS CALMA AÍ! ESSA NÃO É A NOVA REALIDADE DE MERCADO.
Essa realidade já está acontecendo. Ela é real.

Então, voltando à palestra, como eu poderia falar para aquelas pessoas que isso é tendência de mercado? Se tudo o que mencionei é novo pra eles, mas já é realidade para muita gente?

A tendência, meus amigos, é que daqui há um tempo 45 a 55% das vagas sejam automatizadas e que sejam profissões de grande grau intelectual. E não estou falando só de vagas operacionais.

É também que novas profissões que ainda não estão sendo ensinadas surjam. A tendência é que ao invés de home office, teremos anywhere office. Essas é que são as tendências.

Mas veja, os números são animadores para quem quer entrar para as carreiras digitais e no mundo das startups. Hoje, em nossa base de dados aqui na ABStartups, temos mais de 12.800 startups. Já são 9 os unicórnios brasileiros e, por outro lado, segundo a BRASSCOM e a Softex, o Brasil pode chegar em 2020 com um déficit de de 750 mil profissionais qualificados para atuar na área de tecnologia caso o país não reforce programas para reverter esse quadro. 

Até 2020 mais de 70% das empresas que figuram no relatório da revista Fortune das 500 SMB serão compostas por startups. Além desses números, tem diversos outros motivos que levam as pessoas a quererem trabalhar em startups: aprendizado, autonomia, crescimento profissional e pessoal, flexibilidade, ambiente descontraído, orgulho, propósito, mudança. 

Ah, e preciso dar  ênfase para 3 palavrinhas mágicas: Propósito, Autonomia e Flexibilidade

Trabalhar com propósito tende a transformar o trabalho em mais do que somente um emprego ou uma carreira. Você compreende que o seu talento está a serviço de algo no qual você acredita; Ter autonomia no seu trabalho significa definir e organizar suas atividades, se tornar mais responsável, mais dinâmico/a, desenvolver novas habilidades, conhecer os seus limites e superá-los.

E uma pesquisa recente realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontou que sete em cada dez brasileiros gostariam de ter flexibilidade no trabalho.

Outra pesquisa, da consultoria Bain & Company, com 3.300 profissionais mostrou que a adoção de políticas de flexibilização contribui para aumentar os índices de retenção nas organizações em 25% no caso dos homens e em 40% entre as mulheres.

O bom é que existem opções que podem te ajudar e a Gama Academy é uma delas, te dá contexto para trabalhar no mercado de startups. O recado que eu quero dar é que você é o/a único/a responsável pela carreira que você quer ter.

Você não tem que culpar depois a faculdade por não conseguir emprego porque não estudou empreendedorismo, startups ou competência. Não tem que achar que não conseguiu uma vaga por não ter dinheiro para fazer inglês. Você tem muitas opções para aprender isso tudo e a hora é agora. 

Se aproprie dessa causa, da sua vida e da sua carreira, porque o passado tá na nossa cabeça e o futuro, esse sim, está nas nossas mãos.

_vamos bater um papo?
JHENYFFER COUTINHO  [In] | Gerente de Gente & Gestão Financeira | ABstartups

Últimos Artigos

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Curtiu nosso blog? Inscreva-se na nossa newsletter e receba nossos melhores conteúdos.
twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram