Golden Circle: comece pelo porquê

Para quem não sabe aonde ir, qualquer caminho serve.

Você já parou pra pensar no motivo pelo qual faz suas escolhas? E na razão pela qual realiza atividades de um jeito A e não B?

Saber o que e como fazer algo é muito importante em nosso dia a dia, mas ter noção do porquê é crucial na trajetória de qualquer pessoa ou organização. 

Simon Sinek, autor do livro “Comece pelo porquê” e speaker de um dos TEDx mais assistidos da história, estudou diversas lideranças e organizações inspiradoras do mundo (desde Marthin Luter King até Apple) e encontrou um padrão entre elas: um porquê muito claro.

Para essa descoberta (talvez simples e óbvia, mas muito esclarecedora) ele deu o nome de Golden Circle, ou Círculo Dourado.

Comece pelo porquê

Poucas pessoas ou empresas sabem por que fazem o que fazem. E a resposta vai muito além do lucro, pois isso é resultado.

Com “por que” queremos dizer: qual é a sua causa? Sua crença? Qual batalha você decidiu enfrentar? E qual bandeira você decidiu levantar? Quais valores são essenciais para isso? E por que alguém deveria se importar?

A nossa tendência natural é de pensar, agir e se comunicar de fora pra dentro. Nós partimos do que é mais claro e fácil de controlar para o mais confuso e difícil de entender.

Para Sinek, o círculo dourado nos faz questionar e reagir de dentro para fora.

No recorte do ambiente profissional, o filósofo e escritor Mario Sergio Cortella traz no livro “Por que fazemos o que fazemos?” as principais preocupações com relação ao trabalho.

Bateu aquela preguiça de ir para o escritório na segunda-feira? Falta de tempo virou uma constante? A rotina está tirando o prazer no dia a dia?

Anda em dúvida sobre qual é o real plano de carreira que mais faz sentido? 

Um grande perigo é quando isso atrapalha a sua rotina, deixando de ser algo que te prepara para ser melhor no que você faz e passando a ser algo no qual você nem presta mais atenção. Ou seja, quando a repetibilidade se torna automatismo.

O autor diz que há uma diferença entre a rotina, na qual eu faço uma atividade notando a sequência correta e a completo, e a monotonia, em que a faço sem perceber.

Nessa hora, a motivação falece. Seja qual for a profissão. 

Por isso, é importante entender que motivação é uma atitude interna e não adianta apenas culpar o ambiente ao seu redor. No dia a dia de inúmeras funções, o que motiva alguém a ser professor/a, empresário/a, piloto, pai ou mãe?

Aquilo que você deseja, que realiza, que te completa, aquilo que permite que você se reconheça. Se eu me conheço naquilo que ajo, tenho cada vez mais proximidade do meu porquê.

E aplique em qualquer contexto

Dito isso, ok. Sob um olhar mais organizacional, outro ponto de destaque nessa conversa é a percepção de valor de uma marca.

Tem sido cada vez mais recorrente, na narrativa de pequenas ou grandes empresas, a inserção de sua história e de detalhes que valorizam a sua missão.

É o que o livro “Organizações Exponenciais” chama de PTM - Propósito Massivo Transformador. Movimentos sociais, organizações com crescimento exponencial e marcos surpreendentes da ciência e tecnologia possuem algo em comum – eles são frequentemente subprodutos de um propósito profundamente unificador. 

Simon Sinek também aponta que grandes lideranças e empresas serão inspirações para seus grupos de interesse apenas através de um porquê. Isso pois as pessoas passarem a acreditar que o que você faz é um reflexo do que acredita.

E você, também acredita nisso?

O famoso propósito tira o sono de muita gente (e organizações) e faz parte de uma jornada extensa de autoconhecimento. Mas não tenha pressa, esse processo exige disposição, reflexão e um tempo indeterminado (eu diria que a vida inteira).

Ao longo da caminhada você pode encontrar mais perguntas do que respostas, e é isso que vai te fazer seguir no caminho certo.

Últimos Artigos

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Curtiu nosso blog? Inscreva-se na nossa newsletter e receba nossos melhores conteúdos.
twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram