Como gerir um time no home office

O modelo de gestão industrial, que já conhecemos bem, funciona basicamente com uma sala de controle de um lado e, do outro, um chão de fábrica. 

Por muito tempo esse modelo funcionou, já que os trabalhos tinham foco em execução de processos e não tinham espaço para flexibilidade, autonomia e inovação

Precisavam ser executados exatamente da mesma forma para obter exatamente os mesmos resultados. Além disso, o controle era estrito e os processos monitorados a todo momento.   

No contexto atual de transformação constante e resolução de problemas complexos que precisam ser resolvidos rapidamente, percebemos que outras formas de operar precisaram ser experimentadas e praticadas para que as empresas passassem a ter um alto nível de resultados positivos.

Essa necessidade de performance se mostrou importante para que as empresas conseguissem acompanhar as demandas de mercado - que mudam muito rapidamente - tornando seus processos internos mais ágeis. 

Uma delas, por exemplo, foi a adoção de contratações de colaboradores/as — às vezes até mesmo times inteiros — que trabalham no modelo de home office.   

O trabalho home office gera benefícios para as empresas e, ao mesmo tempo, gera desafios, comprometimento e oportunidades para os/as colaboradores/as e para as lideranças.

Necessariamente, as atividades de gestão precisam ser adaptadas e planejadas para essa nova modalidade de trabalho.

Neste post, você conhecerá os benefícios e os desafios que as empresas enfrentam ao lidar com um time em home office e dicas para que esse modelo dê certo em sua startup. Vamos lá?

Os benefícios do home office para a empresa

Colaboradores/as mais satisfeitos

Congestionamentos de trânsito, assaltos, superlotação de transportes públicos, longo percurso até o escritório e outros problemas são enfrentados diariamente por pessoas que vivem em cidades de grande e médio porte. 

Esse tipo de situação pode tornar o dia de uma pessoa colaboradora mais estressante e deixá-la mais ansiosa com sua rotina.

Com a possibilidade de um time remoto, essas pessoas estarão livres desses problemas que prejudicam sua qualidade de vida e que lhes rouba um tempo precioso. Pense bem, hoje em dia, o tempo é nosso maior tesouro. 

Com um estilo de vida mais equilibrado, os/as colaboradores/as poderão se sentir mais felizes e sua empresa ganhará um trabalho muito mais produtivo e de qualidade.

É claro que essa flexibilidade não é o único fator para gerar engajamento e motivação para seu time, ok? 

Leia também: O impacto do engajamento na performance de times

Flexibilidade de horários e processos

Outra vantagem em realizar a gestão de um time no modelo de home office é a flexibilidade de horários e a agilidade que a modalidade permite. 

Tendo acesso às ferramentas configuradas adequadamente, a liderança pode encontrar e contratar profissionais para projetos específicos, garantindo uma maior agilidade nos processos e o cumprimento de prazos estipulados.

Redução de custos

Outro benefício é a possibilidade de manter uma estrutura mais enxuta, dispensando a necessidade de um grande espaço físico em sua empresa e reduzindo despesas fixas com a manutenção do escritório, como telefone, energia, alimentação e tudo o mais.

Expansão de acesso aos talentos

Adotar um modelo de home office também permite que a empresa quebre barreiras na contratação de talentos. O/A colaborador/a não deixará de aplicar para vaga ou ser contratado/a por morar em outro estado. 

Leia também: Employer Branding: como se beneficiar?

Os desafios da empresa na gestão de um time remoto

Para que esse modelo de trabalho realmente gere vantagens, é preciso que as empresas tenham atenção a alguns cuidados e vençam alguns desafios, entre eles estão:

Acompanhamento de prazos e produtividade

Para a liderança, é importante manter um acompanhamento dos processos que estão sendo realizados pelo time remoto e saber utilizar as ferramentas de comunicação para direcionar o fluxo de trabalho de sua equipe de forma organizada e simples, sem comprometer a produtividade.

Disciplina e motivação

O trabalho remoto, embora seja potencialmente positivo para a produtividade e flexibilidade, também pode ser difícil para colaboradores/as com um perfil que tende à procrastinação.

É papel dessa liderança identificar os pontos que as pessoas do seu time necessitam desenvolver para que esse modelo seja vantajoso e produtivo para ambas as partes. 

Assim, certifique-se de que elas estão habilitadas para trabalhar em um time remoto antes de realizar a contratação. Reuniões com a equipe são boas oportunidades para acompanhar o progresso, discutir projetos e motivar o time.

Comunicação

Trabalhar com um time remoto, às vezes, significa gerenciar atividades e processos de profissionais que trabalham com diferentes horários e agendas.

E pode acontecer de você precisar resolver uma questão de forma rápida e a pessoa não esteja disponível.

Diversas ferramentas auxiliam a comunicação mas, é importante que sua equipe esteja integrada e possa utilizar essas ferramentas como forma de indicar que estão disponíveis e em seu momento de trabalho.

Além disso, a carga horária de trabalho também é um fator que pode ser alinhado no momento da contratação, seja de um/a profissional efetivo/a, seja de uma contratação pontual. 

Como contribuir para que o time tenha bons resultados no home office?

O desafio de construir e manter times de alta performance já é grande. Mas, manter essa consistência num contexto de home office é ainda maior.

Para aprofundar sobre esse assunto por meio de cases de empresa que realmente vivem a experiência e esses desafios, convidamos o Rafael Carvalho, COO & co-founder da HeroSpark, para bater um papo no webinar abaixo. 

Caso tenha interesse, é só dar play no vídeo e tirar os melhores insights dessa conversa! 

Sua startup já trabalha com times remotos? Você tem alguma dúvida sobre esse modelo de trabalho? Compartilhe suas dúvidas e experiências nos comentários!

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram