Design Inspiration: 3 cases de aplicação de UX que deram muito certo

A abordagem educacional baseada em cases é uma das melhores estratégias para que as pessoas possam aplicar seus conhecimentos por meio de problemas e situações autênticas do mundo real. 

Para ajudar com diferentes pontos de vista na área do design, trouxemos 3 cases que deram muito certo. Confere só e tire os melhores insights. 

Design Inspiration 1: O app da CNN para iOS

Design Inspiration: 3 cases de aplicação de UX que deram muito certo 1

A CNN é mundialmente conhecida como sendo um canal de notícias com extrema notoriedade e confiabilidade. 

Basicamente, é uma fonte utilizada em todo o mundo para confirmar a veracidade de notícias dos mais diversos temas possíveis. 

Exatamente por isso, ela lida com um alto número de notícias, fazendo com que a pessoa de UX lide com essa demanda da melhor maneira possível.

Logo de cara, o app se mostra “diferente” já que não pede que um cadastro seja realizado, entretanto, pede que o leitor personalize seus interesses (ainda assim, algo que não é obrigatório). Lembrando que: quanto menor for o atrito entre o/a usuário/a e seu objetivo final, melhor será a experiência para ele/a. 

Após a personalização, na tela inicial, é possível ver as notícias mais importantes do dia e outro ponto a favor da usabilidade do aplicativo é que as notícias intercalam entre vídeos e artigos escritos. 

Conforme rolamos para baixo, vemos notícias de duas em duas que vêm acompanhadas de imagens. A ideia é que desta forma a atenção da pessoa leitora seja mantida mais facilmente do que se compararmos com capas cheias de notícias. 

Por fim, na barra de navegação, o conceito de “menos é mais” se faz presente e vemos apenas 3 escolhas (Top Notícias, Veja Agora e CNN, que abre todas as seções do jornal), enquanto as apresentações das notícias em si não trazem grandes novidades.

Conclusão: a CNN, através da sua equipe de UX designers, conseguiu traduzir uma enorme quantidade de conteúdos sem sobrecarregar o/a leitor/a que, no geral, sempre consideramos ter pouco tempo nos dias de hoje.

Design Inspiration 2: o App Duolingo

Design Inspiration: 3 cases de aplicação de UX que deram muito certo 2

Duolingo é um aplicativo de aprendizado de línguas que conta com mais de 9 milhões de usuários/as e que ensina 23 idiomas.

E é aí que mora o desafio da equipe de UX designers: usar uma língua universal que proporcione uma excelente experiência para usuários/as de qualquer lugar do mundo.

Leia também: UX mindset: o papel do/a designer nos negócios digitais

Logo de cara, através de seu logo e tipografia, temos a impressão de que aprenderemos por meio de um jogo divertido e viciante.

Já na sua tela inicial, outro atrativo. A tela é clean e contém duas opções (“Começar” e “Eu já tenho uma conta”).

A partir daí, somos direcionados para a escolha do idioma que desejamos e aprender e qual a nossa disponibilidade diária. 

Posteriormente, somos avisados/as de que receberemos as temidas notificações. Mas, veja bem: para o propósito da Duolingo, que é a regularidade na utilização, as notificações são imprescindíveis.

Agora sim, começamos com as aulas. Neste ponto, não temos como garantir a eficácia do método, e nem é esse nosso foco, entretanto, a usabilidade é fantástica. 

O design é clean, de fácil compreensão e, além disso, somos contemplados/as com uma voz que repete as frases e palavras na língua escolhida. 

Ao final de cada aula, somos levados/as à uma tela que mostra o desempenho e o percentual de fluência do idioma em questão. 

Claramente mais uma estratégia da Duolingo para manter a assiduidade dos/as alunos/as.

Conclusão: a Duolingo consegue, por meio do seu design, manter plena a atenção de seus/suas alunos/as. 

Com visual simples e até meio infantil, que se assemelha ao sucesso Angry Birds, o aplicativo faz com que o/a usuário/a queira continuar as aulas para que possa ir passando de fases até chegar ao final do curso.

Design Inspiration 3: Virgin America

Design Inspiration: 3 cases de aplicação de UX que deram muito certo 3

Em 2014 a Virgin America abraçou o desafio de transformar o seu site no primeiro responsivo dentre todas as companhias aéreas do mundo. 

E conseguiu ir além.

O fato de ser pioneira em seu segmento transformou a vida da equipe de UX Designers em um desafio atrás do outro, entretanto, por se tratar de uma companhia amplamente utilizada, fica um pouco mais fácil de entender as necessidades e desejos dos/as clientes.

Bem, logo que entramos no site conseguimos notar um visual extremamente intuitivo e com cores atraentes. 

Já na home, são disponibilizadas algumas opções que visam facilitar a busca por passagens. Começamos com as opções “ida e volta”, “somente ida” ou “mais de uma cidade”, depois disso, as opções que definem quantas pessoas irão viajar (entre elas as crianças), a cidade de origem e a cidade de destino.

Respondidas as opções iniciais, vamos para uma página onde podemos ver um calendário com diversos meses onde opções de vôos aparecem em determinadas datas.

A grande sacada aqui é que além de mostrar os dias em que existem voos disponíveis, o site ainda mostra o valor do ticket para cada uma das opções. O mesmo se aplica para a escolha do voo de volta. 

A partir deste momento, o site mostra as opções de horários e valores para os dias escolhidos para que o/a passageiro/a escolha a melhor opção. E é nesta página que aparece a melhor estratégia do site.

Rolando para cima é possível mudar as datas e as cidades de destino e origem de uma forma extremamente rápida e simples.

Escolhidos os voos, na parte superior do site se torna visível suas escolhas e o valor que deverá ser pago. 

Ao clicar no valor, aí sim, se faz necessário um cadastro pessoal e de cartão de crédito para efetivar a compra. Por fim, o site disponibiliza a impressão da passagem em um tamanho diferente das passagens de outras companhias e isso não é um acaso. 

A ideia é que seja possível guardar o ticket no bolso sem grandes problemas.

Além disso tudo, em todo o processo é possível verificar um conceito bem diferente  que as companhias aéreas costumam utilizar. A começar pelo fato de mostrar desenhos ao invés de fotografias das cidades ou mesmo mapas, além disso, a linguagem é mais coloquial com frases como “parece ótimo” logo após a escolha da data de retorno.

Conclusão: A Virgin America se arriscou ao inovar tanto, mas teve resultados bem proveitosos. Conseguiram fazer um site totalmente responsivo, facilitando a compra de passagens através de celulares e tablets e mantiveram o foco na experiência dos clientes.

O fato de ser um site clean, onde não há um enxame de ofertas, por exemplo, faz com que a busca por passagens seja mais simples e rápida. 

Além disso, ainda que a companhia não faça determinados trajetos, ela realiza todo o processo de busca e, no momento do pagamento, conduz o/a passageiro/a para uma de suas companhias parceiras que realizarão o trajeto desejado.

Ou seja, fizeram algo não somente eficiente mas agradável de se usar!

Bom, estes são apenas alguns dos casos onde a aplicação do UX se mostrou bastante positiva.

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram