JavaScript: o que você precisa saber sobre essa linguagem

Todos/as os/as profissionais digitais, especialmente os/as desenvolvedores/as, já ouviram falar sobre JavaScript em algum momento. Isso acontece por que essa é simplesmente uma das linguagens de programação mais usadas no mundo.

Os/as devs sabem que o JavaScript é uma linguagem de scripts essencial para uma grande diversidade de aplicações, principalmente na construção de sites e produtos digitais mais interessantes, interativos e dinâmicos.

Com a chegada do interpretador Node.js, a linguagem de programação JavaScript entrou em um nível ainda mais superior, já que criou a possibilidade de uso do lado do servidor.

Por isso, o JavaScript é atualmente bem mais versátil e pode ser usado para a montagem de sites completos e excelentes. Ou seja, é uma linguagem muito funcional, com frameworks, várias bibliotecas e ampla comunidade.

Se você está começando a atuar na área de desenvolvimento de sites e produtos digitais e ainda não tem domínio sobre o que é JavaScript, vamos explorar todos os detalhes sobre essa linguagem neste conteúdo.

Agora, se você é daqueles/as que não sabem a diferença de Java e JavaScript e acha que as duas linguagens são a mesma coisa, estamos aqui para te ajudar também, a fim de acabar com estes pequenos deslizes. 😊

Nosso material bacanudo também é muito útil para times de inside sales, marketing digital e design que precisam entender o que está por trás dos produtos principais da empresa, principalmente as tecnologias e soluções aplicadas. Então, nada mais apropriado do que começar com o básico: o que é JavaScript!

O que é JavaScript?

A linguagem de programação JavaScript é a mais indicada para a aplicação web, para inserir funções em um site, para fazer com que ele se torne mais dinâmico e com diversos recursos não estáticos, como animações, gráficos e mapas interativos.

Na ordem de construção de sites, teremos no código, em primeiro lugar, o HTML, depois o CSS e, então, o JavaScript.

O HTML serve para a estruturação da página e de todos os seus componentes, entre os quais estão vídeos, imagens, títulos, listas, tabelas e parágrafos. É a linguagem necessária para mostrar a posição de cada conteúdo no site.

Enquanto isso, o CSS é a linguagem de programação usada para definir o estilo da página, como vai acontecer a transição de elementos, posicionar componentes em colunas, planos de fundo, como serão as fontes e cores da página.

O HTML, o CSS e o JavaScript apresentam todas as ferramentas necessárias para a criação de um site. Mas vamos explorar melhor qual a função do JavaScript neste tipo de trabalho!

JavaScript: linguagem de client-side usada para inclusão de recursos

Embora já tenhamos dito que o JavaScript evoluiu e não é uma linguagem que roda apenas do lado do cliente, no navegador, sua utilização na terceira camada na composição do site possui exatamente a funcionalidade de apresentar recursos dinâmicos para o/a usuário/a final.

Pense bem: como fazemos para utilizar um site? Escolhemos um navegador e digitamos seu endereço, como via de regra. Quando isso acontece, um código é implementado no ambiente de execução.

O navegador, que tem seu motor de renderização, aciona o JavaScript por último, apresentando os elementos de interação e dinamismo da página, já que os códigos estruturais do site vêm primeiro.

Isso impede que erros estruturais de Tecnologia da Informação aconteçam e faz com que o site rode com perfeição para o/a cliente.

Evolução da linguagem JavaScript

Uma linguagem client-side, como era o JavaScript, rodava apenas no navegador do usuário-final. Porém, houve uma evolução neste código no que se refere a server-side.

Para quem ainda não sabe, um site possui basicamente dois lados: client-side – lado do cliente; e server-side, lado do servidor. No início, o JavaScript era uma linguagem somente de aplicação para o client-side, somente no PC do/a usuário/a.

O site fica hospedado em um servidor e as linguagens server-side rodam também nos computadores desta hospedagem. 

Assim, com uma linguagem mais completa para a criação de sites, os/as dev full stack podem trabalhar nas aplicações web em todas as etapas.

Conheça as tecnologias para utilizar o JavaScript full stack

Quatro tecnologias são essenciais para utilizar o JavaScript full stack na prática. São elas: Node.js, Express, EJS e MongoDB. Vamos conhecer melhor cada uma!

Node.js

O uso do Node.js, uma plataforma que mudou o trabalho de criação de site para os/as devs, é uma consequência muito positiva da atuação de Ryan Dahl, o engenheiro de software responsável por criar essa tecnologia.

Com o Node.js, um site pode ser elaborado do começo ao fim com JavaScript, o código passou a ser lido também pelo servidor e chegando ao back-end.

Por isso, desenvolvedores/as de sites que querem usar a tecnologia precisam instalar o Node.js e depois o Node Package Manager, o NPM.

O NPM é necessário para gerenciar módulos na plataforma. Inclusive, instalar o Express, um framework com muita funcionalidade, também será essencial para o time de dev.

Express

Em JavaScript, o framework Express facilita muito a elaboração de todas as aplicações web, para ir do navegador ao back-end, programando muito menos, ganhando tempo e agilidade.

Embedded JavaScript templates ou EJS

O Embedded JavaScript templates ou EJS é necessário para utilizar o JavaScript para funcionalidades do HTML.

Os/as programadores/as podem trocar o HTML e usar somente JavaScript para montar o site completo com essa funcionalidade, ganhando em padronização do código, integração e, claro, em velocidade no desenvolvimento.

MongoDB

Para finalizar um site completo usando somente JavaScript, o time de dev vai precisar da ferramenta MongoDB, já que ela é necessária para estruturar os arquivos JSON-like em um banco de dados. É um banco gratuito e open source, que se integra com as outras ferramentas do JavaScript.

O que mais podemos fazer com JavaScript além de sites?

Realmente, essa é uma boa pergunta! Nós, devs, ficamos tão acostumados/as com a associação do JavaScript para sites, que nos esquecemos que a linguagem pode muito mais! Agora, com os recursos do JavaScript full stack, é possível aplicar a linguagem de programação para outras finalidades, que não sejam aplicação web.

Aplicações do JavaScript no Google Chrome também ampliaram as possibilidades para os/as desenvolvedores/as que trabalham com essa linguagem e criaram oportunidades com novos produtos e soluções.

Atualmente, o JavaScript é usado para Aplicações Mobiles, para o desenvolvimento de apps para smartphones, como os aplicativos híbridos, que funcionam pelo navegador interno. 

Com o React Native e o NativeScript, também é possível desenvolver aplicativos nativos, em Android ou iOS.

O JavaScript também é utilizado para o desenvolvimento de games, com frameworks específicos para essa finalidade, como o Phaser, se apoiando em outras linguagens como CSS e HTML.

No site da Phaser, os/as devs vão encontrar diversos cursos, apps e plug-ins para saber como ter uma experiência otimizada com a plataforma no desenvolvimento de games.

O JavaScript também é útil no desenvolvimento de softwares para desktop, com o Node.js e o Chromium.

O Electron é o framework mais indicado para essas aplicações com o JavaScript. Os softwares mais famosos construídos com este sistema são os seguintes: Visual Studio Code, Slack e Atom.

Como você pode aprender JavaScript?

Para aprender JavaScript e aproveitar todos os recursos e versatilidades que essa linguagem de programação oferece, os/as devs precisam focar na trinca: JavaScript, CSS e HTML.

Repositórios de desenvolvimento web, fóruns, materiais na internet e vários cursos mostram como aprender JavaScript na prática, começando do zero, para iniciantes. (Aqui na Gama temos um curso super completo! Conheça o Gama Start de Programação).

Todos/as os/as devs terão que trabalhar com padrões e sintaxe de programação para criarem um código fácil de entender, e com JavaScript não será diferente. 

O que é sintaxe de programação?

Se você não sabe o que é sintaxe de programação, não fique preocupado/a. Os/as devs precisam apresentar um código identado, e isso é feito através de uma estrutura padronizada.

A regra vale para todas as linguagens, e o JavaScript também está nessa lista, é claro. Por isso, o código deve seguir um modelo com relação aos caracteres, variáveis, pontos, vírgulas, comandos, sequência de linhas do código, entre outros elementos da linguagem.

A sintaxe de programação permite evitar erros, identificar os bugs e trabalhar em equipe, facilitando o entendimento de uma linguagem por outras pessoas do time.

No fundo, a sintaxe de programação é composta por um passo a passo bem organizado de todas as etapas de um programa feito com JavaScript, seguindo uma série de regras e uma sequência lógica.

O nome disso é: lógica de programação! Você aprenderá sobre isso no próprio curso de JavaScript, principalmente nas disciplinas de introdução.

Quais são os principais frameworks e bibliotecas JavaScript?

Para você que está interessado/a em aprender JavaScript e está se aprofundando nessa linguagem, é importante saber quais são as principais bibliotecas e frameworks. Como você viu, já falamos sobre alguns deles neste artigo e abordamos as aplicações. Por isso, vamos ver outros!

React – Este é um framework tão popular que pode ser chamado de uma biblioteca. O Facebook mantém essa tecnologia, que se destaca pela confiabilidade dos códigos e abstração em camadas, de forma bem simples.

Com ele, é possível usar o DOM Virtual, obtendo maior controle quando for necessário alterar os códigos. O banco de dados é operado no sistema one-way data binding. Por isso, os dados saem do banco e já aparecem direto na tela. 

Angular – Este é o framework mantido pelo Google e, por isso, é um dos mais conhecidos e completos disponíveis para JavaScript. Muitas melhorias foram realizadas com foco em confiabilidade e experiência do/a usuário/a.

O fluxo two-way data binding é o utilizado no banco de dados, com ampla sincronização entre os itens do front-end e as informações, deixando a comunicação mais eficiente.

Vue.js – É a biblioteca para os/as iniciantes em JavaScript. Os templates são construídos em HTML, o two-way data binding é usado no banco de dados, tem interface muito amigável e fácil de entender, ótimo para quem está aprendendo.

jQuery – Essa é a biblioteca mais popular do JavaScript e os/as programadores/as que possuem domínio dessa linguagem de programação conhecem bem a jQuery. Ela foi construída para “write less, do more”, ou seja, simplificar códigos nativos do JavaScript. 

Isso facilita muito a manutenção, organização e deixa o código mais claro e limpo (saiba mais sobre clean code aqui), ganhando mais agilidade no desenvolvimento do trabalho. Também apresenta uma imensa quantidade de bibliotecas derivadas e plug-ins.

Java e JavaScript são a mesma coisa?

Essa é uma das dúvidas mais comuns entre os/as iniciantes ou aqueles/as que não são diretamente da área de desenvolvimento, mas que trabalham com tecnologia, como o time de marketing digital, inside sales ou design.

JavaScript e Java são linguagens diferentes, o nome confunde mesmo! O lance do nome parecido tem uma justificativa histótica. A Netscape encomendou o JavaScript em 1995, para Brenda Eich. 

O primeiro nome da linguagem seria LiveScript, mas depois um suporte da SUN Microsystems, empresa que tinha domínio do Java, pesou bastante no nome do código, que acabou sendo alterado para JavaScript.

Essa mudança foi realizada com o objetivo de fazer uma abordagem mais interessante na estratégia de marketing, já que o Java era muito conhecido na época e podia dar uma impulsionada na divulgação da linguagem!

Por hoje, é isso galera! Continuem acompanhando nosso blog para mais conteúdos e insights sobre as principais linguagens de programação utilizadas pelos/as devs!

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram