7 motivos para você não adotar metodologias ágeis

7 motivos para você não adotar metodologias ágeis

Que “Metodologia Ágil” já é um termo bastante difundido no mundo corporativo seja em pequenas, médias ou grandes empresas, não é novidade para ninguém.

Empresas tradicionais, inclusive, já correm contra o tempo há alguns anos e - com mais ou menos sucesso - estão conseguindo se adaptar a essa nova forma de trabalho.

Mas, o que torna as empresas que implementam efetivamente essas metodologias tão “especiais” comparada às demais?

Cada empresa tem uma cultura distinta e, consequentemente, uma forma de trabalho.

Que tal fazermos o caminho inverso e desconstruirmos os motivos para NÃO adotarmos metodologias ágeis? Bora lá!

1. Quero fazer tudo mais rápido

Definitivamente, essa é uma das maiores confusões e/ou ilusões sobre metodologias ágeis, seja pela similaridade de termos ou por qualquer outro motivo. 

Ágil não é sobre ser “rapidinho”. É uma verdade que empresas que adotam e implementam efetivamente metodologias ágeis, conseguem atingir maiores velocidades de entrega.

Inclusive, esse foi o quinto tópico destacado nos benefícios de adoção de metodologias ágeis no 13th Annual State of Agile Report

No entanto, é importante destacar que este é apenas um fruto de um trabalho bem feito.

7 motivos para você não adotar metodologias ágeis 1
Benefits of Adopting Agile - 13th Annual State of Agile Report

2. Quero seguir um plano bem estruturado

Ser ágil é estar pronto e disposto a mudanças. Por outro lado, se “apaixonar” por um plano bem estruturado muito provavelmente te levará a desilusões.

Planeje apenas o necessário, sem anos de antecedência, o suficiente para manter a sua equipe ocupada.

Planos muito longos tendem a estar errados, afinal, no mercado atual, tudo muda rapidamente. Certamente, ao fim de um planejamento muito longo, seus/uas usuários/as e o mercado já estarão se comportando de outra maneira. Com outras demandas.

3. Quero fazer as coisas do meu jeito

Para que tudo flua da melhor maneira possível, é preciso fornecer autonomia às pessoas, pois são justamente as equipes (formada por pessoas) que fazem o mundo girar.

Isso quer dizer que adotar posturas autoritárias e decisões top-down não só impactará na entrega do seu projeto quanto desmotivará seu maior patrimônio.

4. Quero processos bem definidos

Uma das diretrizes do Manifesto Ágil exalta: “Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas”. Gerentes tradicionais de plantão já começam a se coçar ao ler essa frase.

É compreensível. O mundo que viviam certamente lhes ensinou a “processuar” tudo e todos para que, assim, pudessem realizar micro-gerenciamentos e ter autoridade sobre a cadeia de desenvolvimento/produção.

Quem nunca viu um método cascata para controle de projetos que atire a primeira pedra.

O que precisa ficar claro é: isso não quer dizer que processos serão completamente ignorados, mas, sim, que pessoas e seu convívio serão priorizados.

5. Não tenho tempo para me dedicar

Por mais óbvio que possa parecer, preciso dizer: quando não dedicamos tempo e energia suficientes para determinado projeto ou ação, esses, não atingem os resultados esperados.

Implementar metodologias ágeis e esperar que  todos problemas se resolverão em uma semana é utopia. É preciso ter dedicação e manter os esforços constantes, como em qualquer outro âmbito.

6. Não sei definir prioridades

Eu já perdi a conta das vezes que presenciei o seguinte diálogo:

  • Gerente: “Nessa semana, precisamos entregar 3 novas funcionalidades essenciais para os nossos clientes: integração com plataforma de pagamento, integração com plataforma de marketing e permitir que os usuários no enviem a documentação pelo aplicativo”.
  • Equipe: “Ótimo! No entanto, não temos tempo e braços para construir todas, no prazo que estipulou. O que acha de definirmos uma prioridade?”
  • Gerente: “Sem chance. Todas elas são prioridade!”

Eu nem preciso destacar que, em todas as vezes, falharam com o planejado e geraram atritos desnecessários, certo?

Num ambiente/escopo que todos os itens/tarefas são prioridade, nenhuma delas, de fato, é.

Nós, enquanto seres humanos, somos péssimos no dimensionamento de tempo e, elencar devidamente prioridades é o mínimo que podemos fazer para garantir nossa sanidade mental e sucesso do projeto.

Você e sua equipe certamente conseguirão chegar num acordo de prioridades frente às necessidades reais de seus clientes.

7. Não sei por onde começar

Cada metodologia tem suas características e é fundamental pesquisar.

Scrum e Kanban, por exemplo, estão em alta e muito provavelmente servirão para o seu projeto.

Que fique claro: não existe a “melhor” metodologia mas, sim, a que melhor se encaixa no contexto/momento da sua empresa. Portanto, pesquise, entenda e faça o match!

Depois disso, basta dar o primeiro passo. 🙂

E você? Tem algum outro motivo para NÃO implementar metodologias ágeis? Desconstrua!

Últimos Artigos

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Curtiu nosso blog? Inscreva-se na nossa newsletter e receba nossos melhores conteúdos.
twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram