Gama Academy vale a pena? Um ex-aluno responde!

Como um processo seletivo que mistura cursos, tropa de elite e RH pode ser tão completo e tão intenso? Como esse processo é muito além das hard skills (habilidades técnicas) e te leva ao limite do autoconhecimento e te faz evoluir 5 anos em 5 semanas? Vem cá que vou te contar um pouco de como eu evoluí com o Gama Experience.

Autoconhecimento e Gama Experience

Até agora o Gama Experience pode te parecer muitas coisas.

Como você vê o Gama hoje? Você vê como um curso? Um processo seletivo?

Quando falam que o Gama Experience é um processo de treinamento, ou um curso, ou um processo seletivo, tem gente que pensa "nossa... mais um processo seletivo… que preguiça". Pra mim o Gama Experience é um pouco mais que isso. Na verdade, é MUITO mais do que isso.

É um processo intenso de autoconhecimento. Quer saber como? Então se segura aí e se prepara pra entender um pouco como o Gama Experience mudou toda a minha visão de mundo.

Como eu pensava antes?

Primeiro, vou contar como era minha opinião antes do programa.

Só pra explicar o contexto, sou formado em engenharia de alimentos com pós em marketing, sou do "mercado tradicional" e trabalhava como coordenador de projetos numa indústria. Estão enxergando essa pessoa, né? Ótimo, continuem com essa ideia em mente.

Essa era minha opinião do Gama Experience quando soube do programa e me inscrevi:

  1. Ah é um curso para áreas específicas de startup;
  2. Eu to querendo conhecer esse negócio de startup aí, acho que vou me inscrever;
  3. É online e presencial aos sábados, longe da minha casa;
  4. Eu vou perder meus sábados durante 5 semanas… Tá, mas eu to querendo bastante, então vamos lá, qual o próximo passo?
  5. Nossa, tem processo seletivo. Mas pera, tudo tem processo seletivo hoje em dia. Tudo certo! Vamos preencher que nem a gente faz pra outros programas.
  6. Eita… o processo é bem diferente, vou ter que pensar nas respostas do zero, não vai dar pra adaptar as respostas que tenho.
  7. Passei! Uhuuu! Agora é só aprender, quem sabe não rola a chance de fazer um networking pra descolar um emprego na área que eu quero.
  8. Oi? Tem empresas patrocinando??? O.O DEMOROOO!! Vou fazer aula e ainda vou ter mais chance de descolar um trabalho muito bom!

Entenda que em momento algum eu achava que o Gama ia ser um processo de autoconhecimento. Até eu entrar.

Como foram as 5 semanas de Gama?

Durante 5 semanas, foi um processo intenso, trabalhando no emprego que eu tinha (até porque, vai que não rola nada pós-Gama, não é mesmo?), trabalhando TODOS OS DIAS para o processo do Gama, indo dormir no mínimo às 3 da manhã e acordando às 7h, trabalhando com pessoas que estavam na mesma espiral de autoconhecimento. Com tudo à flor da pele, mas acima de tudo, com muita vontade.

Porque é tão diferente?

Dá pra ver a grande diferença do "mercado tradicional", né?

Isso porque o Gama Experience é uma montanha-russa. Quando se está lá em cima, todo mundo adora. Na descida, dá aquele frio na barriga e a gente parece perder controle. Nesse processo, até a pessoa que diz se conhecer 100% (e olha que tem gente assim, viu) balança.

O processo te coloca em situações extremas para você "se descobrir na descida da montanha-russa". Ninguém se descobre quando tá tudo bem. Ninguém se descobre quando tá ganhando. A gente só se conhece quando a gente se vê na descida em espiral e sem freios.

E dessa descida, só existem duas opções:

A primeira, é quando você se encontra e "get your shit together" pra sair das situações em que somos colocados durante o Gama.

A segunda, é quando você não consegue se encontrar na descida. E aí você sofre penalidades. Mais do que penalidades do "jogo Gama", são as penalidades que nos auto-infligimos. Porque esse é o processo do Gama, é um "Jogo da Mente". Não significa, que as pessoas que não pararam na descida são piores do que as outras. Cada um de nós passa por um processo de autoconhecimento diferente. Tem gente que se sobressai em situações de extremismo, tem gente que se sobressai em outros ambientes. E tudo bem. Cada um é cada um.

O processo Gama - Fail Fast, Fail Often!

Obviamente que no processo seletivo do Gama Experience o filtro já é parametrizado pra deixar passar apenas aqueles que devem se sobressair em ocasiões extremas. Mas assim como você pode estar imaginando, é muito difícil ter essa certeza absoluta, pois autoconhecimento nunca foi nem será um assunto fácil. Portanto se você não foi selecionado(a), no worries. Tente de novo, talvez você tenha que passar por algumas outras situações na vida antes de participar de uma edição do programa.

Na descida desenfreada, o processo de autoconhecimento começa!

Para os que tentam parar a descida desenfreada, é aqui que começa o processo de autoconhecimento. É quando você se depara com situações extremas em que muitas vezes você não sabe o que fazer por si só, e quando depende de outras pessoas, porque trabalha em grupo. Trabalha com pessoas que tem um emprego, ou que tem prova na faculdade, que tem família, que querem ir pra uma balada, enfim, com pessoas diferentes de você.

Lembre-se sempre do Jogo da Mente. Você se estressa, grita no travesseiro, soca a parede, começa a parar de sentir alguns membros do corpo por causa do cansaço… Enfim… Sabe o Tropa de Elite? É tipo isso aí. Não duvidem. Hahaha, agora tá todo mundo com medo.

É brincadeira, pelo menos os membros do corpo ainda dá pra sentir.

Como eu me senti nos primeiros dias?

Pra mim, um cara franzino, aparentemente de boa, que não entendia nada do mercado de startups ou de marketing digital (ah é, esqueci de falar, sou Hyper) o Gama Experience parecia um massacre. Na primeira semana quando tive aula com os outros Hypers eu já fiquei achando que nem deveria estar ali. Dali pra frente, foi que nem tropeçar numa escada coberta de graxa. Quanto mais eu rolava para baixo, mais graxa tinha no meu corpo.

Demorou alguns dias, mas entendi como pivotar!

No fim da segunda semana aconteceu o ponto de virada. E eu pivotei. Foi quando eu entendi que o Gama era um Jogo da Mente, e que eu teria sim que aprender a trabalhar com o que eu sabia e com o grupo pra poder colocar as coisas em ordem. Ali as garras saíram; e com elas, veio a vontade de subir.

Eu entendi que não necessariamente eu precisava subir pela escada cheia de graxa, eu podia virar Hulk e quebrar a escada inteira pra fazer uma nova. E foi o que fiz.

Não importa que eu seja novo no mercado de startups, não importa que eu não tenha habilidades tão técnicas em marketing digital. Isso eu aprendo. E aprendo durante as aulas do Gama. O segredo está em todo o resto. Está em aprender a priorizar, está em aprender a se mexer, está em saber se comunicar, em saber trabalhar em equipe, em enxergar o objetivo. E enxergar que, por mais que esse objetivo seja aparentemente impossível, muitas vezes uma abordagem simples te faz chegar lá MUITO mais rápido.

É fazer, errar, aprender e reiterar. Simples assim.

Minha visão hoje, depois do programa?

  1. Não é um curso. É um programa que permite muito autoconhecimento;
  2. Dá pra aprender bem esse negócio de startup aí;
  3. É um dia presencial por semana. De aula. Mas são 7 dias por semana de aprendizado;
  4. Durante 5 semanas. De programa. É uma vida inteira de bagagem que se organiza depois disso tudo. E os sábados foram muito melhores que ir no parque tomar sorvete no calor;
  5. Tem processo seletivo. Também… se não tivesse no final sobreviveriam 10 pessoas;
  6. O processo é bem diferente. Não só o processo seletivo, mas o Gama Experience como todo, por assim dizer. Se não fosse diferente, não criava uma rede tão forte de pessoas tão absurdamente boas que estão prontas para mudar TU-DO;
  7. É só aprender. É sim, isso é verdade. Mas não é do jeitinho papel e caneta. É no jeitinho papel, caneta, porrada, abraços, erros, acertos, montanha-russa, cerveja, brigas, amigos, energético e risadas;
  8. Tem empresas patrocinando. Sim. E eles estão de olho em 100% dos movimentos da Gamalera. E sim, eles levam participantes para dentro da empresa. Eu saí do último dia do Gama com três propostas de emprego. Escolhi onde melhor me encaixava e saí do emprego que tinha antes.

Como está minha vida pós-Gama?

Hoje? Estou na Evnts, sou responsável de Marketing, trabalho no nível de intensidade Gama mas num projeto que tem, hoje, um ano e meio. Continuo me deparando com Hackers, Hustlers e Hipsters. Todos os dias, o tempo inteiro. Mas não só com eles, porque agora tem gente de operações, de financeiro, de administrativo, e muito mais.

Como o autoconhecimento me ajudou a chegar onde estou?

Marketing digital? Aprendi muito no Gama. E aprendi também que preciso aprender o tempo inteiro. Aprendi que a tática de um não vai ser a do outro. Que o que funcionou pra um pode não funcionar pro outro. Mas também que tem coisas muito legais que outros estão fazendo que posso adaptar. Assim como tem coisa que eu faço que outros podem fazer. Então mais que Marketing Digital como uma "matéria" de faculdade, eu aprendi a ter meu networking e ajudar para ser ajudado.

O Gama Experience é assim. E sim, ele faz tudo isso. O programa transforma. Muda seus status quo de pessoa para talento. E tudo isso não só no profissional, como também no pessoal.

Post escrito por Mateus Quelhas - Hyper formado no #02 Gama Experience. Você também pode passar por essa transformação! Inscreva-se no Gama Experience clicando aqui nesse link: http://bit.ly/experience-blog

Últimos Artigos

ASSINE NOSSA
NEWSLETTER

Curtiu nosso blog? Inscreva-se na nossa newsletter e receba nossos melhores conteúdos.

Se desafie aprendendo sobre uma das 4 profissões mais valorizadas pelo mercado digital em uma experiência imersiva de 5 semanas

SAIBA MAIS
Dúvidas, enviar um e-mail para contato@gama.academy
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram